Oktoberfest: A TodoVino traz tudo o que você precisa saber sobre o maior festival de cerveja alemã no mundo

3 minutos para ler

O mês de outubro empresta seu nome para o mais famoso festival de cervejas no mundo. A origem do festival está ligada à comemoração do casamento do Rei Ludwig I da Baviera, onde está Munique, sede do matrimônio celebrado em 1810. Todos os cidadãos de Munique foram convidados para a festa, realizada nos 46 hectares do Parque Theresienwiese (o campo de Therese, em homenagem a sua esposa). A festa fez tamanho sucesso que foi marcada uma segunda comemoração no ano seguinte, na mesma época. Assim nasceu a tradição.

Desde 1872 o festival ganhou novas formalidades e tem início no primeiro sábado após 15 de setembro, ao meio-dia, com a cerimônia chamada “O’zapft is” (algo como “Que a festa comece!” em dialeto bávaro), quando simbolicamente se dá o golpe de martelo para abrir o primeiro barril de cerveja da Oktoberfest; e costuma ir até o primeiro domingo do mês de outubro.

Ao completar 100 anos, em 1910, os visitantes da Oktoberfest alemã consumiram cerca de 1,2 milhão de litros de cerveja. Na comemoração dos 200 anos, em 2010, os cerca de 6,4 milhões de visitantes beberam nada menos que 7 milhões de litros do fermentado.

Em Munique, apenas seis cervejarias locais possuem a licença para produzir os dois tipos de cerveja oficial da Oktoberfest e devem obedecer a lei de pureza alemã, a “Reinheitsgebot” editada pelo Duque da Baviera, Clemente IV, em 1516.

O tradicional acompanhamento das cervejas durante o festival é a bratwurst, salsicha alemã grelhada, que foi servida pela primeira vez na Oktoberfest em 1881. Pode parecer um tanto tardio, mas os tradicionais canecos com 1 litro de capacidade, por exemplo, apenas foram introduzidos em 1892. Além das diversas salsichas, a Festbier acompanha o tradicional Schweinehaxen (joelho de porco) e gigantes pretzels. Na edição de 2019 foram levantadas 38 tendas, que são verdadeiros pavilhões, com restaurantes e cervejarias para atender o público. E, tão importante quanto isso, são os cerca de 1.800 toilettes disponibilizados aos visitantes.

Um capítulo à parte na tradicional festa alemã da cerveja é destinada às vestimentas. Desde 1950, no primeiro domingo do festival é realizado um desfile que cruza a cidade por sete quilômetros até o Theresienwiese. Hoje são cerca de 60 grupos com vestimentas típicas dos vilarejos bávaros e carruagens históricas, onde desfilam também o prefeito de Munique e o primeiro-ministro da Baviera. A inspiração para esta parada veio do desfile feito pela população em 1835, para homenagear as bodas de prata do Rei Ludwig e sua princesa Therese. Outro costume dos locais é sair com seus chapéus Tirolerhüte, originalmente, feito com pelos de antílope, e quanto mais alta a copa, maior a nobreza de quem a vestia.

No Brasil, o mais famoso Oktoberfest ocorre em Blumenau. A pequena cidade de colonização alemã no interior catarinense, cuja população é de 350 mil habitantes, chega a receber quase 600 mil visitantes durante o festival (dados de 2019), número que coloca o festival brasileiro como o segundo maior no mundo, atrás apenas do original, em Munique.

Também temos edições da Oktoberfest em São Paulo, Santa Cruz e Igrejinha, no Rio Grande do Sul, Curitba e até mesmo em Olinda (PE) e Guaramiranga (CE).

Posts relacionados

Deixe um comentário