O Trevo de Setúbal

2 minutos para ler

Hoje o blog da TodoVino – loja online de vinhos, cervejas e destilados – aborda uma marca de vinhos portugueses. A linha de vinhos Trevo (de quatro folhas, claro!) é produzida por José Maria da Fonseca, uma das mais importantes vinícolas portuguesas. Fundada em 1834, a vinícola sediada na Península de Setúbal produziu pela primeira vez seu vinho icônico, Periquita, em 1850. Em 2020 José Maria da Fonseca foi listada como “Top 100 Wineries” pela publicação Wine & Spirits.

A linha Trevo é feito com uvas da região da Península de Setúbal e foca na expressão da personalidade das castas portuguesas. Como curiosidade, a variedade Castelão, que entra nos corte do Trevo Tinto e Trevo Tinto Reserva, é plantada pela vinícola desde 1846 e forma a essência dos tintos Periquita. A associação é tão sólida que por muito tempo a Castelão era chamada de Periquita (e informalmente muitos ainda a chamam assim).

No caso do Trevo Branco, a mescla de Fernão Pires e Moscatel (com a expressão particular da Moscatel quando plantada em Setúbal) resulta em branco, seco, leve e cheio de frescor, que não passa por madeira e preserva as intensas notas cítricas e de frutas tropicais.

No Trevo Tinto são utilizadas as variedades Castelão (71%) e Trincadeira (29%) processadas unicamente em tanques de inox. O resultado é um tinto exuberante em notas de frutas vermelhas e negras maduras (framboesa, groselha e amora), sem excesso de peso e de taninos. Um tinto fácil de se beber que acompanha bem carnes vermelhas ou suína grelhadas.

Já o Trevo Tinto Reserva, a Castelão recebe a companhia da Touriga Nacional. Aqui há maior estrutura de taninos e concentração. No nariz há predomínio de frutas negras maduras (mirtilo, amora e ameixa), com toques tostados e de baunilha, bem integrados e fruto da passagem de seis meses pelas barricas americanas e francesas.

Posts relacionados

Deixe um comentário