Mulheres icônicas à frente de marcas icônicas

7 minutos para ler

Como em todos os setores da sociedade, as mulheres também ocupam posições de destaque no setor de bebidas. O talento de algumas profissionais foram e são fundamentais na produção e aperfeiçoamento de marcas e produtos que são referências em seus segmentos. Conheça algumas incríveis personalidades que estão no comando de marcas icônicas do mundo das bebidas.

Lesley Gracie, Hendrick’s

Hendrick’s inaugurou uma novo estilo de gin, puro e aromático, com as inconfundíveis essências de pepino e rosas. Por trás deste inovador destilado está a master distiller Lesley Gracie, que em 2014 embarcou em uma expedição por duas semanas pela floresta tropical venezuelana, em busca de essências botânicas que inspirassem o estilo de Hendrick’s e novos caminhos para a marca. Química de formação, a master distiller está em Hendrick’s desde a fundação da marca, em 1999 e destaca que as principais qualidades que a acompanham na carreira profissional está o espírito questionador e de experimentação, características que considera fundamental para qualquer profissional do setor. Em 2018 Lesley foi considerada a Gin Distiller do Ano e em 2021 foi nomeada para o Hall da Fama da Gin Magazine.

Kim Jordam, New Belgium

Kim Jordan é co-fundadora da cervejaria New Belgium. Em 1991, ela e o marido Jeff Lebesch hipotecaram sua casa em Fort Collins, no Colorado, para dar início à cervejaria artesanal em seu porão. A inspiração para a criação das cervejas com frutas e especiarias veio de uma viagem de bicicleta à Bélgica. É por isso que a empresa recebe o nome de “Nova Bélgica”. Kim Jordan é uma das poucas fundadoras de uma marca de bebidas em uma indústria em que a maioria são homens e hoje Kim Jordam figura entre as maiores empreendedoras dos Estados Unidos e está entre as 60 mulheres mais ricas (considerando fortunas não herdadas) do país, segundo a Forbes. Para Kim, errar e falhar faz parte do processo de crescimento de qualquer profissional, e o mais importante é manter o espírito competitivo e foco.

Paula Borgo, Bodega Septima 

A Bodega Septima é fruto um investimento de Codorníu, a mais tradicional vinícola produtora de Cava da Espanha, em Mendoza, na Argentina. Sediados em Luján de Cuyo, a vinícola conta com Paula Borgo como enóloga-chefe desde 2010, o que significa que Paula é a responsável pela gestão dos 150 hectares de vinhedos da vinícola argentina, fundada em 1999. 

Nascida em Mendoza, Paula Borgo passou por vinícolas na própria Argentina, Estados Unidos e Espanha, e ainda concluiu em mestrado em gestão vitivinícola antes de chegar em Septima. A paixão pelo vinho veio de família, pois seu pai é engenheiro agrônomo e desde pequena acompanhava a visita em algumas vinícolas. Para Paula a enologia é uma mescla de engenharia, bastante concreta e pragmática, com alquimia, uma parte artística, abstrata e subjetiva.

Bernadette Langlais e Carole Quinton, Cointreau

O licor de laranja mais conhecido do mercado, o Cointreau, teve Bernadette Langlais como master distiller por 38 anos (entre 1978 e 2016). Durante este período, a especialista em destilação e aficionada por perfumes foi a responsável pelo padrão de qualidade do licor, selecionando as essências das diferentes variedades e procedências das cascas de laranja utilizadas na tri-destilação de Cointreau. Na primavera de 2016, o bastão de Bernadette Langais foi passado para Carole Quinton, a sexta master distiller de Cointreau, que é a atual guardiã da receita original do licor. Para Carole, Cointreau prima pelo equilíbrio, autenticidade e riqueza aromática. Sua forma preferida para consumir o licor é com limão, espumante e gelo, um cocktail improvisado durante sua festa de casamento!

Vitalie Taittinger, Taittinger

Taittinger é uma das marcas mais poderosas de Champagne. A região sempre teve mulheres com forte personalidade no comando das vinícolas e agora é a vez de Vitalie Taittinger, nomeada presidente da companhia no começo de 2020, sucedendo ao seu pai nesta função. Com formação em artes e design, Vitalie começou a trabalhar na vinícola em 2007, aos 28 anos de idade, como a responsável pelo marketing e comunicação da empresa. Entre suas maiores preocupações está a mudança climática, particularmente sensível em Champagne, e Taittinger foi uma das primeiras vinícolas de Champagne a buscar vinhedos no sul da Inglaterra, onde deve lançar os espumantes em 2024. Um de seus lemas de vida é “Não preciso me transformar em um homem para alcançar as mesmas conquistas”.  

Francisca Van Zeller, Quinta Vale D. Maria

A jovem Francisca Van Zeller é filha de Cristiano Van Zeller, uma das personalidades mais cativantes do Douro e é herdeira de um legado vitivinícola que já esteve ligado à Quinta do Roriz, Quinta do Noval e, mais recentemente, a Quinta Vale Dona Maria (QVDM). Francisca pertence à 16a. geração da família no setor de vinhos e acompanhou os trabalhos na Quinta Vale Dona Maria desde a safra inaugural. Ao completar a maioridade, recebeu como presente de Cristiano um vinhedo batizado com seu nome e plantado em boa parte com a variedade Tinta Francisca. A dupla homenagem resultou no vinho ícone da Quinta Vale Dona Maria, o Vinha da Francisca. 

Hoje Francisca Van Zeller é relações públicas do Grupo Aveleda (que incorporou a QVDM) e além de ser responsável pela comunicação das vinícolas do grupo é fundadora da D’Uva, associação de mulheres com o objetivo de promover os vinhos portugueses e destacar o trabalho feminino, da produção à enologia, e do United Wine Woman – Blended for a Cause, que todo ano angaria fundos para instituições que apoiem causas sociais.

Pierrette Trichet, Rémy Martin

Pierrette Trichet é uma figura marcante na história da região de Cognac. Ela foi a primeira mulher a ocupar o cargo de master distiller na região e logo em uma das mais poderosas casas de Cognac, Rémy Martin. Pierrette começou a trabalhar na destilaria em 1976 no laboratório de pesquisa da empresa e em 2003 assumiu a posição mais elevada na cadeia produtiva do Cognac, sendo nomeada para a função por outra mulher, a presidente de Rémy Martin, Madame Dominique Heriard-Dubreuil. Reconhecida pelo olfato impecável para selecionar os melhores destilados e saber utilizar a criatividade para inovar em uma bebida tão tradicional como o Cognac, Pierrette zelou pelos mais de 200.000 barris de carvalho de Rémy-Martin ao longo dos seus 38 anos de carreira e defende que Cognac nunca é uma questão de gênero ou idade.

Madame Rose, Liefmans

Quem está por traz dos sabores atuais das cervejas Liefman’s é Rose Merckx, também conhecida como Madame Rose. A sua paixão e experiência, fizeram da cervejaria uma referência em qualidade. Rosa começou em Liefmans como secretária e conquistou a função por ser fluente em três línguas. Desde 1972 está no comando da produção da cervejaria que foi a primeira a exportar seus produtos. Rose foi a primeira mestre-cervejeira da Bélgica e mesmo com os atuais 96 anos de idade visita diariamente a unidade de produção da cervejaria na cidade belga de Oudenaarde. 

Posts relacionados

Deixe um comentário