Rótulo de vinho: saiba como ler os do Velho e Novo Mundo!

4 minutos para ler

Saber ler um rótulo de vinho é essencial para os apreciadores da bebida. Os vinhos do Velho Mundo, com origem nas tradicionais regiões europeias, e os vinhos do Novo Mundo, produzidos nos países fora da Europa, têm características distintas e o mesmo acontece com os rótulos.

No Novo Mundo, os rótulos destacam o nome e as uvas utilizadas na produção do vinho, ao passo que, no Velho Mundo, ressaltam a região de origem e a safra. Por isso, é fundamental entender as indicações presentes nos rótulos de cada vinho para escolher a bebida ideal, apreciando-a e harmonizando-a com diferentes tipos de alimentos.

Neste artigo, explicaremos as principais informações presentes nos rótulos de vinhos do Velho e do Novo Mundo.

Nome do vinho

O nome do vinho tem destaque nos rótulos do Novo Mundo, onde muitos produtores definem uma designação específica para a bebida. A denominação permite que o apreciador identifique o vinho desejado com mais facilidade. Além disso, o nome pode distinguir os diferentes vinhos de uma vinícola que tem várias linhas.

Variedade de uvas

A variedade de uvas utilizadas na elaboração do vinho é a informação mais relevante nos rótulos dos vinhos do Novo Mundo. Em países fora da Europa, normalmente a principal identificação da bebida é a casta que foi utilizada na sua criação. Por exemplo, um vinho feito com a casta Cabernet Sauvignon provavelmente vai ter essa indicação em destaque.

Quando o vinho é feito totalmente, ou com uma porcentagem elevada, de um tipo de fruto, o rótulo apresenta apenas uma variedade. No entanto, se a bebida for criada com uma combinação de uvas, podem constar duas ou mais castas.

Produtor

O nome do produtor é um dado que geralmente está presente no rótulo de vinhos do Novo e do Velho Mundo. Cada fabricante elabora vinhos com uma identidade própria e, por meio dessa informação, é possível conhecer diversas informações sobre a bebida, incluindo o estilo de produção.

Em alguns casos, o vinho é denominado com o nome do produtor, ou seja, não existe uma identificação específica e a principal informação do rótulo é o nome da vinícola.

Região de origem

Se a informação mais relevante nos rótulos dos vinhos do Novo Mundo é a variedade de uvas utilizada na elaboração, no Velho Mundo é a região de origem. Os vinhos do continente europeu são identificados pelos locais onde são produzidos. Por exemplo, um vinho feito em Bordeaux, França, geralmente tem especificado o nome dessa região no rótulo.

Cada região do Velho Mundo é conhecida por suas particularidades, como o terroir — clima, solo, chuvas, altitude e relevo do lugar —, métodos de elaboração e casta de uvas cultivadas, que são determinantes para as características do vinho.

Nos rótulos do Novo Mundo, normalmente, o país de origem é a principal indicação da localização geográfica de onde o vinho foi feito e a região, quando presente, costuma ter pouco destaque.

Safra

Assim como a região de origem, a safra é uma informação muito importante nos rótulos do Velho Mundo. O ciclo de produção das uvas é influenciado por questões climáticas que podem variar a cada ano. Assim, os frutos de um mesmo vinhedo tem características diferentes de acordo com o período de cultivo.

Quando o rótulo não apresenta essa informação, como em alguns vinhos espumantes, é provável que a bebida tenha sido produzida com uma combinação de uvas de diferentes safras.

Contudo, o rótulo pode apresentar apenas o ano de engarrafamento, que muitas vezes não coincide com o ano de produção do vinho. Isso acontece, por exemplo, com muitos vinhos do Porto.

Essas são as informações que geralmente estão presentes em rótulos de vinhos do Novo e do Velho Mundo. Saber ler o rótulo permite que o apreciador conheça as características do vinho, ajudando na escolha da bebida ideal para apreciação e harmonização.

Por exemplo, vinhos com mais adstringência, que geralmente têm origem nas regiões do Velho Mundo, combinam com carnes. Já o sabor mais frutado, característico de muitos rótulos do Novo Mundo, é ideal para ser servido com queijos médios.

Agora que você já sabe ler as principais informações de um rótulo de vinho, que tal conhecer os principais tipos de uva?

Posts relacionados

Deixe um comentário